Avon Pedidos: Como se livrar dos caloteiros mais chegados?

Avon pedidos: Seu barriga e seu madruga

Avon pedidos – Na hora de fazer os pedidos da Avon para os mais chegados, nossos amigos e familiares e ainda sem ter todo o dinheiro na mão, muita gente fica imaginando o pior: será que vão pagar?

Se essa é uma questão da sua realidade eu vou comentar nesse artigo um tema que vai lhe ajudar a deixar de perder dinheiro com essa turma.

Avon pedidos

Para fazermos uma venda precisamos de basicamente de três elementos principais:

O produto ou serviço, quem compre e como o item vendido será pago. Quando juntamos os três, temos uma venda concretizada.

Ao iniciarmos em vendas nos deparamos com um dos nossos primeiros problemas:

Para quem vender meu produto ou serviço? E esse é um problema de iniciantes em qualquer ramo de vendas.

Mas o problema não só atinge os que estão dando seus primeiros passos comerciais e sim também os veteranos no assunto.

Muitas vezes temos excelentes produtos ou serviços e não temos as pessoas ou empresas que comprem o item vendido.

Muitas vezes por esse obstáculo optamos por recorrer a nossos amigos ou familiares. Há também quem já escolha esse público como primeira, ou em outras vezes, como única opção.

O seio familiar ou rol de amigos é um ambiente muito favorável para venda pois já existe o contato e a confiança entre as partes envolvidas.

Como falo,

uma venda é muito mais fácil de ser concretizada quando a atmosfera de confiança e credibilidade são construídas entre as pessoas que envolvem a ação comercial.

Diante do comentado, podemos perceber o quão favorável é o círculo de pessoas mais próximas que convivemos em nosso dia a dia.

São elas que temos as primeiras atitudes de recorrer para solucionarmos qualquer tipo de problema em nossas vidas.

Além disso também são elas que indicamos qualquer “coisa” interessante que soubermos.

Um exemplo disso ocorre quando estamos navegando na internet e ao nos depararmos com algo interessante, logo compartilhamos com nossos “amigos” de redes sociais.

Essa é uma ação natural para esse cenário e se repete no quesito vendas.

Mesmo eu frisando muito que uma venda perfeita é aquela que envolve sentimentos, existe muita diferença entre os sentimentos construídos entre você e seu cliente desconhecido quando comparado entre você e seu melhor amigo.

No primeiro não há bagagem histórica ou vivência, já no segundo há. Afinal de contas você não pede a benção ao seu cliente “desconhecido”, mas para sua tia sim, por exemplo.

Sobre esse assunto vamos ver alguns cuidados que temos que tomar, para que nossos pedidos gerem vendas que sejam saudáveis e não abale os laços sentimentais envolvidos entre as partes.

Esclareça que o pedido Avon é uma venda e não uma doação

Deixe claro:

  • Qual o produto ou serviço
  • Qual a forma de pagamento e período
  • Qual o prazo e forma de entrega
  • Quais as garantias e condições de devolução

Pois é, esse ponto embora pareça óbvio não é muito bem entendido quando fazemos uma venda para os mais chegados.

Venda que deu errado

Certa vez fiz uma venda de um celular para um grande amigo e me lembro como se fosse hoje como tudo ocorreu.

Eu estava sentado em meu quarto desenvolvendo meus programas de computador quando esse amigo chegou e viu meu recém celular comprado sobre a mesa.

Aí logo ouvi a frase:

– Que celular bonito!

Em minha terra tem uma brincadeira que quando alguém “se admira” muito de algo respondemos com um:

– E eu não estou vendendo!!!

Nessa brincadeira entreguei o meu celular recém comprado para ele e não deixei claro as condições de pagamento. E você já sabe como terminou essa história, não é?

Até hoje não recebi e não tenho mais condições de cobrá-lo devido ao tempo. E você pode estar até dizendo:

– Allisson é mole mesmo porque se fosse eu, cobraria até ele me pagar! :@

Pois aí é onde mora o perigo, eu não deixei claro as condições de pagamento, e a culpa toda foi minha. Apenas entreguei o celular e soltei aquele velho e clássico:

– Não se preocupe, você vai me pagando como puder!!! …. Me dei mal nessa!

Observe que quando não deixamos preto no branco a forma de pagamento não fizemos uma boa venda.

E ainda digo mais, quando você não deixa claro as condições de pagamento você não fez uma venda, você fez uma concessão de um bem ou serviço sem cobrança, visto que quem diz o dia e o valor de pagamento é o cliente e não o vendedor.

Outra vez, agora na área de serviços, fiz algo parecido. (É… eu sei meu passado me condena, mas aprendi da pior forma!)

Há vários anos atrás eu desenvolvia sites para clientes interessados no serviço. Certo cliente me solicitou um belo site de notícias e eu com muita prontidão me ofereci para o serviço.

Veja como foi a negociação:

Eu fui indicado por meu irmão, que já de antemão disse qual o valor do serviço que eu cobraria (meu irmão falou um valor que era uns 30% mais barato do que eu normalmente cobrava na época) e fui chamado para conversar com esse cliente.

Como estava precisando muito do dinheiro na época acabei aceitando o valor mais barato, mas não deixei claro as condições do serviço.

Todo site tem vários botões e muitas opções que nós como usuários de internet saímos clicando. E era exatamente essas parafernálias que esse cliente frequentemente me ligava solicitando.

Ele queria modificações no site para adicionar uma coisa que ele viu em outra página na web, que na dele não tinha.

Então ao perceber o número de solicitações “extras” e a quantidade de horas que ele consumia tentando explicar o que queria, eu estipulei que cada solicitação na época seria de R$100 a hora.

Na confusão das solicitações ele continuava me solicitando modificações e para piorar não trazia o valor do pagamento extra, que muitas vezes deixava, com “pena dele” para ele pagar depois.

Resumindo…. Perdi o cliente e levei uns belos calotes nesse período.

Pelo resumo da história, observe agora meus erros:

  1. Não deixei claro o que eram os meus serviços
  2. Não disse para ele que modificações no site gerariam pagamentos extras
  3. Não deixei claro o tempo que tinha para atendê-lo
  4. Não fui firme na hora de estipular o primeiro pagamento com o preço que era justo
  5. Deixei minha situação financeira falar mais alto que minha razão
  6. Quebrei minha própria regra de pagamento antecipado para o atendimento extra
  7. Errei em quase tudo….

Essa pessoa era uma pessoa próxima do meu irmão. A venda feita para ela me ajudou a aprender inúmeros detalhes que não poderia repeti-los futuramente.

O que eu deveria ter feito era um simples contrato com todas essas regras e ponto final. Tudo estaria lá para ser consultado posteriormente.

Para você ter noção como as coisas “às claras”, como fala meu pai, são muito mais fáceis de gerenciar, veja o que aconteceu nesse outro exemplo que ocorreu na minha vida empreendedora.

Avon pedidos: inspire-se!

Venda que deu certo

Certa vez um colega do meu irmão, que depois fiquei muito amigo dele, me pediu para fazer um sistema web para o seu negócio.

A proposta dele inicialmente era que ele me pagaria com uma percentagem de sua empresa e eu entraria com a infraestrutura e o serviço especializado de Tecnologia e Informação.

Já com experiência no setor, e por ter passado por poucas e boas em outras propostas, entrei nesse negócio para ganhar dinheiro, o empreendimento dando lucro ou não.

Então na minha negociação inicial estipulei qual seria a minha parte na empresa, quais as regras de todos os termos e ainda pedi uma garantia em dinheiro.

Essa garantia me seguraria que caso o meu futuro sócio desistisse do negócio, eu não ficaria com todo o meu tempo investido na construção do sistema perdido.

Então para não perder em nada, pedi uma garantia do mesmo valor que cobraria para construir o sistema para qualquer outra pessoa, menos o meu valor referente a minha percentagem da empresa.

Recebi o valor de caução e com o passar do tempo e muita conversa fui desenvolvendo o sistema.

Comecei então a perceber uma desmotivação e algumas dificuldades no andamento do projeto.

Ao sinal de meu primeiro alerta, e como estava assegurado pelo contrato, parei de desenvolver o aplicativo e com um tempo depois o negócio foi desfeito.

Como já estava tudo previsto em minha negociação inicial, eu ficaria com o valor em dinheiro pelo serviço prestado.

E assim como acordado aconteceu. Embora a negociação tenha acontecido entre amigos, no caso eu e ele, não fiquei com prejuízo algum nessa negociação e nenhum conflito sério.

Como as regras tinham ficado claras logo no início, meu colega não ficou com qualquer queixa para comigo. Embora a ação comercial tenha sido um desastre e meu amigo tenha ficado no prejuízo, nada influenciou em nossa relação e tudo ficou bem.

Veja esse bom exemplo. Para mim foi uma negociação bem-feita. O que eu fiz de certo:

  1. Deixei claro as condições de entrega
  2. Deixei claro as condições de pagamento
  3. Deixei claro a garantia e reembolso
  4. Garanti que não teria nenhum prejuízo com um valor caução
  5. Garanti que meu cliente não se decepcionasse com meu serviço

Um outro ponto que não pode ficar de fora do nosso debate é quando por algum motivo temos “pena” dos nossos clientes mais chegados e acabamos cobrindo os pagamentos para eles, ou seja, tiramos do nosso bolso para no futuro eles nos pagarem.

Acredito que provavelmente você faça ou já tenha feito isso. Eu conheço muita gente que faz e também porque inúmeras vezes também já fiz:

Cobrir o pagamento do amigo com o seu dinheiro, porque seu amigo não o pagou no dia combinado. Pedidos “fail”!

Veja bem, tenho certeza que você conhece o ditado: Amigos, amigos e negócios à parte!

Esse quesito está totalmente ligado ao que você leu no bloco anterior. A clareza de todas as partes quanto a negociação, vai ajudar no processo de recebimento dos pagamentos.

Então você não pode, em hipótese alguma, cobrir uma dívida de um chagado seu. Eu já te digo que isso não vai ferir sua relação, desde que você siga essas dicas.

Seja firme nas datas de pagamentos

Avise o dia que seu clientes deem pagar os pedidos Avon.

Para isso você irá precisar de um talão de pagamentos, que também pode ser boletos. Estipule as datas de pagamentos e entregue o talão para seu cliente.

Nesse processo você pode já deixar descrito no talão ou em seu comprovante de compra o que ocorrerá caso o pagamento não seja efetuado em dia.

O uso de boleto é interessante nesse caso pois te isenta de cobrança direta. Seu cliente é quem vai pagar em qualquer banco ou casa lotérica.

Certa vez usei uma simples técnica que me trouxe excelentes resultados. Em meu boleto de pagamento eu usei a seguinte frase:

Caso o pagamento não seja feito em dia automaticamente seu nome poderá ser negativado nos órgãos competentes.

Essa frase me ajudou a diminuir a inadimplência a zero enquanto a usei. Seja criativo!

Estipule o prazo de 7 dias de devolução

DevoluçãoQuando você estipula esse prazo de devolução você assina embaixo a seriedade de seu trabalho como revendedor.

A responsabilidade de pagamento por parte de seu cliente se torna ainda maior após esse prazo, pois você o isentou de qualquer prejuízo por 7 dias.

Não é à toa que grandes lojas praticam essa estratégia. E você pode até estar dizendo que elas só cumprem esse período por estarem obrigado por lei. O que eu te digo é que em muitas estratégias (campanhas) de vendas esse período é estendido.

Essa técnica funciona, pois, você ao fazer isso está impondo ao subconsciente do cliente a sua credibilidade e o seu desejo máximo de garantir a satisfação dele.

Embora você ache arriscado essa ação tem efeito contrário ao seu medo, visto que contribuirá fortemente na qualidade dos pagamentos.

Parcele os pagamentos usando o dinheiro de pagamento de outros clientes

 

Essa é uma excelente forma de você garantir que vai ter dinheiro para pagar o boleto dos pedidos sem prejuízo, todavia só funciona quando existem pagamentos abertos de outros clientes. Requer cuidado e muita atenção ao usá-la.

Funciona assim…

Se seu pedido junto ao fornecedor gerou um boleto de R$300,00 (hipoteticamente) para o mês que vem e seu cliente “Y” foi quem comprou os produtos desse pedido. Y quer dividir o pagamento deste mês.  Estipule duas parcelas nas seguintes condições:

Você terá que fazer uma venda de R$150,00 à vista neste mês para um cliente “Z”. Veja que o boleto do fornecedor é R$300 para o mês que vem e também será a primeira parcela de “Y”, já que você decidiu dividir em 2.

A segunda parcela do pagamento deste cliente será financiada pelo cliente “Z” que comprou à vista esse mês.

Nesse modo você garantiu que não tirará de seu bolso o valor para cobrir os débitos com a empresa. Só existe um detalhe nesse modelo de negociação que é o de você já ter produtos em estoque para que o cliente “Z” compre pagando à vista.

Como já falei, é um excelente modelo, mas requer muita gestão sobre seus números. Assim trabalhávamos e geríamos milhões nesse formato. Minha própria distribuidora trabalha assim.

Não parcele em longos períodos. Eu só recomendo esse maior tempo de pagamento se você já tiver um caixa para quitação das dívidas, embora fuja totalmente da minha proposta aqui.

Parcele usando máquinas de cartão de crédito

Parcele usando máquinas de cartão de crédito

Não há dúvidas sobre o benefício que uma pequena ferramenta de pagamento possa gerar em nossos empreendimentos.

Quando usamos esse tipo de modalidade de pagamento garantimos que o valor será sempre pago, caso não haja chargeback (cancelamento de compra pelo cartão de crédito do cliente).

Além do mais a operadora do cartão nos antecipa um pagamento dividido com taxas que cabem no bolso, dependendo da margem do seu negócio.

Nesse caso você poderá dividir em longas parcelas. Só observe aqui que as taxas da operadora de cartão irão aumentando conforme o número de parcelas.

Lembre-se de calcular a sua remuneração retirando o valor de percentagem da operadora do cartão.

Resumindo

Podemos perceber com o texto que o processo de vendas para pessoas próximas requer alguns cuidados mínimos que podem garantir ou não a excelência da venda.

Esses dicas irão te ajudar a fazer os seus pedidos Avon com mais tranquilidade de recebimento.

Vimos que o processo de descrição de regras na hora da venda contribui ao máximo para a diminuição da inadimplência.

Avalie esse artigo para entendermos se você gostou do nosso conteúdo. Clique em uma estrela de acordo com seu nível de satisfação.

Conteúdo ruimPrecisa melhorar o conteúdoConteúdo razoávelConteúdo bomÓtimo conteúdo (Seja o primeiro a avaliar...)
Loading...

Allisson da Silva

Allisson da Silva é o fundador da Compra aê! Desde 2015 vem estudando e desenvolvendo projetos sempre com foco em internet. Atualmente trabalha com distribuição, venda direta, marketing digital e é o CEO da metallisson®.

Deixe um comentário

Deus seja louvado!