Motivação: 10 hábitos que vão mudar sua vida em 10 dias

Publicado por Allisson da Silva em

Motivação no trabalho - metallisson

Motivação: Busque a sua

Ter motivação no trabalho é algo essencial para muitos profissionais nos dias frenéticos em que vivemos.

Muitas pessoas trabalhando sobre pressão, as vezes extrema, não conseguem sair do lugar e ficam travadas pela situação.

Não é por que não querem, é porque estão sobre uma carga alta sobre os ombros que impedem de dar um passo à frente, pelo contrário, devido ao momento acabam regredindo em sua atuação profissional.

Cargas altas de pressão também não são o único motivo da desmotivação do profissional, as vezes ele está apenas precisando de ser ouvido.

É muito difícil manter a motivação no trabalho quando o brilho pelo que se faz está se perdendo. A verdade é que quando chega esse momento, aquela primeira chama está definhando prestes a findar.

De fato, não há como manter uma qualidade de produtividade no que se faz, sem não se tem ao menos o principal combustível disponível, a motivação.

É interessante entender que manter-se motivado requer contínuas aplicações de positividades diárias, algo como um remédio.

O problema é que tudo que não é alimentado definha e morre. Aí está o segrego!

Mas como conseguir motivar-se no ambiente de trabalho depois que já está tudo à beira do precipício? Como renovar algo que está quase acabando?

Como motivar-se em um local que não achamos mais um ambiente propicio, uma atividade que dávamos o sangue por sua execução e agora está no “tanto faz”?

Eu vejo muita gente perdendo o brilho por algumas coisas que são muito fáceis de identificar, mas que inconscientemente é dado uma enorme brecha para que a desmotivação reine.

Às vezes é como se os dias fossem o mesmo, as coisas não saíssem do lugar, nada de novo acontecesse.

Se esse é seu caso ou você conhece alguém assim recomendo fortemente que você compartilhe esse texto com seu contato.

Eu falo isso com muita propriedade pois são técnicas que eu procuro realizar todos os dias.

Em alguns dias passados eu estava totalmente desmotivado no trabalho. Estava rodando no piloto automático.

Isso estava diminuindo meu rendimento e manchando toda a reputação que eu criei ao longo dos anos na corporação.

Eu tinha que tomar uma atitude para não desconstruir tudo aquilo que eu tinha sonhado e conseguido com meu trabalho.

Pode ser que esse seja seu retrato, ou mesmo, você conhece alguém assim.

Mas eu tenho uma notícia boa para você, listei 10 atividades que se forem criteriosamente feitas uma por cada dia, a falta de motivação não será o problema para você.

Mas elas só funcionam quando você tem em mente um único foco de motivação. No final do teto eu direi qual é a minha.

Leia e realize cada experiência que vou lhe contar.

Faça como eu, realize elas e saia na frente de muita gente. Você vai crescer tão rápido que os apagadores de chamas nem verão sua “fumaça”! 😉

Boa leitura!

Ande longe de apagadores de chamas

Apagadores de chamas

Vamos começar pelos que são especialistas em desanimar os outros. Esse tipo de pessoa que nos desmotivam é uma das maiores ameaças em nosso trabalho.

Eu conheci vários. Tive muita experiência com esse tipo de gente. Estão sempre ali rondando querendo pegar o sinal de nossa rádio. E se formos novatos no trabalho? Eita danado…

Certa vez quando estava terminando meu curso de computação, trabalhava no setor de educação à distância da minha universidade.

Um belo dia a universidade liberou um edital para concurso público onde contratava professor substituto.

Um amigo me avisou do concurso e eu logo me animei para fazer, só que existiam alguns apagadores de chamas ao meu redor, eram sugadores de sonhos profissionais.

Logo começaram a dizer: – Allisson você é graduado, como você vai concorrer com professores com nível de doutorado? Não adianta você perder seu tempo!

Faram várias aplicações de desmotivação até que eu fui, mesmo com “pequena qualificação de graduação”, e fiz as provas do concurso.

Mas eu era ciente do que eu estava fazendo. Fui para vencer, independente das chances. Eu estava naquelas provas para atropelar qualquer concorrente, sem ter medo de nenhum.

Para surpresa minha sabe o que aconteceu?

Não fui chamado para ser professor substituto na universidade. E os sugadores me acalentando diziam: – Tem nada não cara, dá próxima você passa! Sempre existe novos concursos de sete em sete anos… :@

“Fiquei na minha” e o tempo passou. Um belo dia então recebi uma ligação muito estranha bem cedo da manhã:

– Professor Allisson da Silva, o senhor gostaria de assumir a função de professor substituto na Universidade Estadual da Paraíba? O senhor foi aprovado no concurso com uma excelente nota e ficou na lista de espera. Você está sendo chamado!

Pois bem, não vou me alongar muito aqui nessa história que daria um artigo só para isso, mas veja que não dei chance para os apagadores tirarem o oxigênio da minha chama.

Ela estava ali dentro de mim, protegida por camadas grossas de esperança, segurança, comprometimento, atitude, fé, disciplina, planejamento de estudo e confiança.

Jamais conseguiriam ao menos sentir seu calor, imagine apaga-la!

Bloquei esse tipo de gente.

Seja gentil com eles, seja educado. Eles esperam que você reaja no nível deles. Não faça isso, porque assim você irá incomodar.

Se isso acontecer fique feliz, você está no caminho certo!

Torne o previsível imprevisível

Motivação no trabalho: Torne o previsível imprevisível - metallisson

Como anda sua rotina? Antes que eu inicie meu discurso quero te propor uma atividade bem simples.

Pegue um papel e caneta (por favor não faça isso usando o computador) e escreva as atividades que você faz durante um dia de semana, um dia útil.

Não esqueça de nenhum ponto. Liste suas atividades por ordem de acontecimentos da hora que você acorda até a hora que vai se deitar para dormir.

Essa atividade é demorada, por favor se você não tiver tempo agora, não deixe de voltar para esse artigo e tentar fazê-la completa.

Liste mais ou menos assim:

  • Acordo às 05:40h
  • Pego o celular e desligo o despertador
  • Vou ao banheiro com o celular em mãos
  • Escovo os dentes e tomo um banho
  • Me visto para trabalhar
  • Tomo o café e olho as notícias ou redes sociais no celular às 6:00h
  • Escovo os dentes e junto as coisas para colocar na mochila
  • Vou ao ponto de ônibus às 6:30h
  • Dou bom dia ao motorista e passo a catraca
  • Sento na cadeira sobre o pneu no lado direito do ônibus ou fico em pé no esquerdo
  • Vejo a turma do colégio que pega o ônibus duas paradas antes que eu desça
  • Desço do ônibus e mostro o crachá ao porteiro
  • ….

e por aí vai.

Observe que ainda estou chegando no trabalho e nem iniciei minhas atividades.

Pode ser que não seja no trabalho essa rotina para você. Pode ser que seja no colégio, faculdade ou qualquer outro canto.

Faça nesse nível de detalhe que eu vou te mostrar  o que eu percebi quando parei para analisar minha rotina e montar um plano para sufocar a desmotivação.

Morando há 30 minutos do trabalho eu ia a pé todos os dias depois que minha moto quebrou. Na minha crise de desmotivação um dia pensei que estava vivendo um déjà vu.

Meu dia era extremamente repetitivo a ponto de me acordar cerca de dois minutos antes do celular despertar. Todos os dias.

Teve um dia que acordei rindo e cheguei a dizer: – Deixa eu adivinhar a hora aqui, dois minutos para às 5:30h.

Era verdade era 5:28h e eu ficava com o celular nas mãos esperando ele despertar para não acordar minha família.

Me arrumava e saia caminhando cronometradamente.

  1. Passava pelo menino cabeludo à minha direita que ia para escola ouvindo música e cantando alto com fone ouvido.
  2. Passava pelo cachorro preto que minha seguia à esquerda
  3. Passava pelo funcionário à minha direita que esperava perto da porta o dono chegar e abrir.
  4. Passava pela senhora à direita que varria sempre a frente de sua casa pontualmente às 6:35h
  5. Passava pela estudante bonita à minha esquerda que sorria para mim todos os dias
  6. ….

Era tremenda a repetição.  Um dia percebi que me levantava sempre na mesma velocidade para o mesmo lado. Fazendo o mesmo movimento!!!

Coisa de louco, mas era assim a minha vida.

A minha primeira decisão foi trocar a ordem dos acontecimentos. Mudei os horários de saída e chegada do trabalho. Isso já me criou uma infinidade de possibilidades na minha rotina.

Via novas pessoas e acontecimentos diferentes. Tornei o que era para mim previsível imprevisível.

Troquei a ordem dos acontecimentos do meu dia. Se eu andava na direita passei a andar na esquerda ou alternadamente.

Você pode até pensar que isso era loucura da minha cabeça, entretanto:

  • Com a sua preocupação com as atividades que você vai desenvolver no dia;
  • Com as contas que você tem que pagar em determinadas datas;
  • Com o horário que você tem que pegar a criança na escola;
  • Com dezenas de atividades programadas e agendadas para horários específicos

Tudo isso contribui para você realizar automaticamente as mesmas atividades todos os dias no mesmo horário sem percebê-las.

Falo com muita propriedade nesse ponto!

Por isso comecei solicitando que você liste em um papel. Escrevendo à punho você assimilará mais suas atividades extremamente repetitivas.

Se você continuar por mais dias nesse loop, você vai se prejudicar.

Mude detalhes que seu dia mudará por inteiro. Comece listando e depois alternando. Chegue também a excluir atividades, modifique a ordem da sua vida e torne-a imprevisível.

Depois me conta como ficou nos comentários.

Tenha o habito de fazer as pessoas sorrirem

Motivação no trabalho: Fazer as pessoas sorrirem - metallisson

Olhe bem, falei em meu artigo como vender mais sobre os benefícios do sorriso e mostrei como você conquistar seu cliente apenas fazendo esse simples movimento com os lábios.

Vimos que sorrir:

  1. Ajuda ao corpo relaxar
  2. A reduzir o estresse
  3. Produz endorfina redutora de tristeza
  4. Aumenta a confiança
  5. Estimula a concentração
  6. Torna você mais atraente
  7. Etc.

São muitos os benefícios.

Então ainda continuando no mesmo sentido do artigo citado, quando você faz alguém sorrir, o clima daquele determinado ambiente fica mais agradável.

Aí você pode estar imaginando: – Mas quem teria que sorrir não seria eu? Para melhorar minha motivação no trabalho?

Pois é, eu acredito que seja verdadeiramente impossível você fazer alguém sorrir de verdade sem que você também não sorria.

Você pode ser engraçado, espontâneo e bem-humorado. Só não seja falso.

Sorrisos quando não são verdadeiros são mais maléficos que benéficos. Tenha cuidado aqui. A principal dica é: faça alguém feliz que seu dia também se tornará feliz.

Quando estou em reuniões muito frenéticas, daquelas que os nervos de todos estão a flor da pele, procuro sair e falar uma pequena frase que faça alguém sorrir no corredor.

Isso ajuda a relaxar e a manter a concentração em não explodir dentro daquele ambiente.

É bem verdade que não seja muito fácil conseguir fazer isso, mas com o tempo e muitas tentativas se tornará algo extremamente natural. Eu faço sempre isso. Encorajo você também a fazer.

Para fazer alguém sorrir você poderá:

  1. Fazer uma surpresa
  2. Ser engraçado
  3. Falar sacadas inteligentes de sua área
  4. Ser gentil
  5. Ser por vezes, bobo (isso não faz vergonha)
  6. Ser educado
  7. Ajudar em coisa difícil
  8. Dizer muito obrigado

Entre muitas outras coisas. Seja criativo. Não há desmotivação que aguente um sorriso verdadeiro!

Aqui vale a lei da ação e reação. Você faz para que alguém faça para você.

Elogie alguém

Motivação no trabalho: Elogiar em público

Eu comparo o elogio como uma poupança de motivação e vou lhe explicar porque logo mais.

Fique atento para usar essa técnica de motivação. Você deverá usa-la sabiamente para que não pareça falso.

Um outro problema é isso, quando usado incorretamente, criar um clima de “babão” (aquele que é bajulador). Tudo tem que ser espontâneo.

Use a tática da surpresa.

Encontre aquela pessoa que você tem certeza que ela nunca imaginaria ter um elogio verdadeiro seu. Aqui quanto mais raro melhor o desempenho da técnica.

Espere um momento em público e faça um elogio verdadeiro por alguma coisa excelente que essa pessoa fez.

Para aumentar a qualidade do retorno desse efeito é importante que o que essa pessoa fez seja conhecido por várias pessoas naquele ambiente.

Essa surpresa não será facilmente esquecida e quem receber o elogio ficará com aquela dívida saudável de lhe agradar.

Eu não tenho dúvida sobre o efeito desse procedimento. É extremamente eficaz.

Agora vamos ver o motivo que comecei esse bloco dizendo que é um investimento de motivação.

Nem sempre você está na crista da onda. Sorrindo a torto e a direito. Então um dia você precisará de ajuda de alguém.

Advinha quem será um dos primeiros a te motivar no trabalho, falando algo que te levante, que te ajude?

A pessoa elogiada tem uma ligação direta com seu elogiador. É o mesmo sentimento de dívida que alguém tem por uma ajuda recebida.

Antes de ficar um “pouco para baixo” em minhas atividades do trabalho, certa vez fui muito humilde em um elogio sobre um material com uma liderança de minha empresa.

Com o passar dos dias e não conseguindo me envolver com a equipe, acabei entrando em desmotivação, mas para não perder o emprego fiz uma coisa inesperada para os líderes da empresa e acabei sendo muito elogiado em público.

Aquele gás que eu absorvi naquele reconhecimento em público me deu excelentes resultados em meu trabalho, que carrego até os dias de hoje.

Veja que eu tinha feito um pequeno investimento antes, e recebi um reconhecimento dezenas de vezes mais intenso do que eu tinha dado.

Na época não tinha feito com interesse algum, todavia encorajo a você já ir plantando pequenos elogios trabalhando com sua equipe.

Essas pequenas atitudes motivarão intensamente os envolvidos, pois o elogio se trata de envolvimento por sentimento.

Delegue atividades sobrecarregadoras

Motivação no trabalho: Delegue atividades sobrecarregadoras - metallisson

De forma alguma não há como manter a motivação no trabalho se não se consegue realizar a atividade que você foi pago para fazer.

Vamos dizer que você é um revendedor natura e sabe que precisa vender mais, mas são tantos clientes para atender, que você satura e trava, não sabendo o que fazer.

Observe que você sabe que vender mais trará mais dinheiro como resultado pelo esforço. Só que você sabe que é humanamente impossível fazer tudo aquilo.

É nesse momento que você tem que tomar a atitude de dividir suas atividades. Muitas pessoas travam nas atividades do dia a dia pelo simples fato de não conseguirem mais realiza-las.

Eu mesmo há um tempo estava assim. E como eu resolvi? Tive que aumentar minha equipe.

Não conseguia manter minhas atividades e não conseguia evoluir devido a não dar conta das coisas que já fazia.

Isso me resultou uma série de atividades feitas com resultados ruins. Minha produtividade foi a quase zero e quando terminava meu dia de trabalho, chegava em casa extremamente estressado.

Já estava gritando com meu filho de 2 anos de idade. Algo que nunca pensei em fazer na minha vida.

Quando percebi o que eu estava fazendo já era bastante tarde. Tinha levado meu fardo para minha família, que não tinha nada a ver com minhas atividades corporativas.

Mas qual era meu problema? Eu tinha colocado o lucro da minha empresa acima do meu bem-estar.

Ora, minha área era do setor de planejamento. Nosso setor visa informar a equipe de vendas sobre oportunidades de vendas e mostrar a diretoria informações de lucro e despesas.

Trabalhando com margens extremamente baixas, tínhamos que manter o orçamento empresarial em cima da linha.

Um dia então resolvi abrir uma vaga de emprego para meu setor, levando a solicitação à diretoria. Tudo foi aceito e eu tinha agora mais um novo colaborador em minha equipe.

Dividi minhas atividades, passando para ele atividades extremamente importantes.

O que defendo sempre é você dividir suas atividades começando pelas de importância, que são de suma responsabilidade para seu negócio.

Defendo isso pois o novo colaborador de sua equipe irá chegar com atividades que se sinta importante no novo setor.

Isso fará que ele se atente que sua presença é percebida pelos diferentes setores, aumentando assim seu senso de responsabilidade, influenciando diretamente em sua produtividade.

Concorda comigo que ele vai querer mostrar serviço? E que tal ele começar pelas atividades que me sobrecarregava, mas tinha prioridade em minha rotina?

Agora você pode estar me perguntando: – Onde isso irá aumentar minha motivação no trabalho?

Te respondo da seguinte forma: Sua atividade diminuirá, você continuará entregando o resultado de seu setor para a empresa e você terá agora uma oportunidade de mentoria.

Você sabe o que é alguém dizer para você um: – Obrigado por me desenvolver cara. Sua liderança além de ter me dado uma oportunidade de crescimento profissional, me tornou uma pessoa melhor.

Agora você entende porque eu falei de dar uma atividade extrema para outra pessoa, não é?

Como é que você vai receber um feedback desses passando uma “atividade café com leite” para o novato?!!!

Pense nisso.

Não leve trabalho para casa

Não leve trabalho para casa - metallisson

Nada de novo aqui, não é? Quanto mais se fala em não levar trabalho para casa, mais eu vejo pessoas levando.

E não falo isso só do ponto de vista do mundo corporativo está? Falo também no setor de vendas diretas.

– Vamos jantar Fulano de Tal! Aí você testa lá na sala tentando fazer uma venda para sua tia pelo Whatsapp.

– Vai comprar o pão para tomarmos café Sicrano! Aí você está lá sentado no computador, tão concentrado que fica de boca aberta!

Sério… não falo nada fora de minha experiência ok?

Por favor, não faça isso.

Trabalhava numa empresa 8h por dia. Por minha vontade de mostrar serviço levava muitas vezes trabalho para casa.

O problema… não, o problema não… a benção, é que tinha uma família para dar atenção e amor (porque família é uma dádiva de Deus).

Caro leitor,

Um profissional desestabilizado em sua fortaleza, sua casa, ele não é nada.

Allisson da Silva

Não tem como você dizer que você vive uma vida feliz se seu filho está no seu lado implorando para jogar bola, ou mesmo sua esposa está no celular porque você não toma a iniciativa de puxar uma conversa com ela!

E isso também vale para o contrário está!

O meu filho me chama de Meu Papai Grandão. Eu sou o herói dele. Mas como vou ser um bom herói se não tenho tempo de salva-lo.

Ora pelo que eu sei, um herói sempre tem alguém para salva, concorda?

Vou falar sobre tempo já já, mas não posso deixar de citar aqui. Dedique tempo para sua família. Isso lhe levará a graus extremos de motivação.

Vá por mim, me escute… não faça isso. Não leve seu trabalho para sua casa. Mesmo que seja por uma boa razão.

Agora você pode estar me dizendo, que você trabalha em casa. Pois bem, nesse sentido o que você pode fazer é uma organização criteriosa do seu tempo.

Eu já trabalhei muito tempo em casa, para falar a verdade continuo trabalhando, mas deixa eu contar uma experiência para você.

No ano de 2014 para 2015 eu desenvolvi um programa por 1 ano. Minha própria rede social (não está ativa mais, pode ser que um dia libere ela novamente).

Vivia de um investimento que tinha feito onde eu planejei tirar um ano sabático, “sem trabalhar”.

O problema é que esse período eu trabalhei mais que em toda a minha vida até agora. Você sabe o que é acordar de 6h da manhã e ir até às 00:00h trabalhando, trabalhando e trabalhando!???

Era eu.

Conversava com minha esposa no almoço e quando ela ficava deitada em uma cama ao lado do meu computador.

Essa era minha vida e esse quase foi o fim do meu casamento. 🙁

Meu trabalho, meu sonho valia naquele momento mais que minha esposava. Não me envergonho de dizer isso, pelo contrário, aprendi bastante.

E o que eu ganhei com isso?

Não consegui investidores para minha rede social, não consegui divulga-la bastante para poder fazer barulho no mercado, perdi todas as minhas economias e quase perdi o amor da minha vida.

Valeu a pena então levar o trabalho para minha casa? Definitivamente, NÃO! Claro que não.

Se seus estudos e seus trabalhos valem mais que seu bem maior, não prosperarão.

Quando eu aceitei isso, minha vida saiu da água para o vinho. Mais tive que pagar um alto preço.

Leve essa experiência com você.

Crie oportunidades com seu tempo

Crie oportunidades com seu tempo - metallisson

Arrume um tempo para você rapaz! Que história é essa que o dia era para ter mais horas? Está ficando doido!

Se você já chegou aqui nessa parte do texto depois de ter lido mais de 3000 palavras, já sabe que não estou aqui para massagear o ego de ninguém, não é?

A minha proposta é gerar motivação para vencermos o dia de trabalho apenas reorganizando nossos hábitos.

Temos 24h por dia e 30 dias por mês para resolver tudo em nossa vida. Então precisamos planejar nosso dia e mês para dar tempo para tudo que tivermos de fazer.

Mais uma vez indico papel e caneta.

Há pouco falei para você que tinha aberto uma vaga na minha equipe para me desafogar da carga de trabalho, lembra?

O meu objetivo com isso era criar oportunidades com o meu tempo, agora, mais livre.

Entenda,

No momento em que libero tempo para pensar, e não faço simplesmente atividades meramente repetitivas, libero tempo para ganhar mais dinheiro.

Allisson da Silva

Tem motivação melhor?

Trabalho com vendas e telecomunicações. Me destaquei no que eu faço criando coisas. E todas essas “coisas” eram relacionadas a economia de tempo.

E que coisas foram essas:

  1. Elaborei processos que otimizavam e organizavam cadastros de novos clientes.
  2. Criei relatórios que mostravam em poucos cliques oportunidades de vendas
  3. Construí ferramentas que mapeavam atividades dos colaboradores durante o dia
  4. Participava de roteirização de atendimento de clientes (saber qual cliente visitar primeiro)
  5. Criei ferramentas que traçavam metas para equipe de vendas
  6. Construí relatórios que diziam: Olha vendedor, vá aqui nesse cliente e venda!

Agora como eu conseguia fazer tudo isso?

Planejava meu dia para ter tempo. Tempo de olhar para o computador e pensar sem precisar agir. Apenas tinha tempo de parar e pensar.

Com eu fiz?

  1. Dividi minha atividade com outras pessoas
  2. Dividi meu dia e mês para realizar atividades por ordem de prioridade
  3. Me levantava algumas vezes em meu horário de trabalho para me alongar no banheiro e lavar o rosto (ajuda bastante isso aqui)
  4. Separei um horário para comer e conversar “besteira” com os colegas
  5. Separei um horário para não fazer nada além de parar e pensar (nem que seja 15 minutos)

Seguindo esse planejamento do meu tempo eu consegui a me promover, não só em acessão profissional por cargos, mas consegui levar meu nome para os quatro cantos dentro da minha empresa.

No final desse artigo vou deixar o link da planilha que usei para organizar meu mês. Espero que sirva para você assim como serviu para mim.

Organize suas finanças

Organize suas finanças - metallisson

Aqui está um negócio que me dei muito mal. Demorei muito a entender, mesmo trabalhando com números, que se deve gastar menos do que se ganha.

O problema é que me desorganizei financeiramente muito antes de aprender tudo o que passo para você hoje.

Eu era professor de universidade, era ainda bolsista, trabalhava com venda direta, mas era muito desorganizado.

Como eu ei me motivar a trabalhar se o que eu ganhava com meu trabalho não me conseguia promover uma vida feliz?

O problema não era o quanto eu ganhava, mesmo porque tinha bastante dinheiro para o meu padrão de vida, entretanto eu era mal-educado financeiramente.

Era educado para o que eu ensinava, era educado para manter minha disciplina, mas era rebelde no uso do cartão de crédito.

E qual era minha desculpa? Dizia para Deus e mundo que o dinheiro que eu gastava era para meus investimentos.

De fato, era, o problema era que gastava muito mais do que ganhava.

O seu problema pode ser coisas para seu carro, dezenas de sapatos para seus “2 pés”, pode ser as lindas bacias daquela empresa famosa de plástico, perfumes… tudo inventamos.

A minha desorganização financeira me levou ao fundo do poço, a ponto de não acreditar mais no meu trabalho.

Minha vida familiar virou o meu pesadelo, porque não conseguia nem mesmo vender para minha casa que eu era um bom profissional no que fazia.

Isso porque não tinha nenhum resultado positivo no fim do mês.

Quando chegava a noite era o momento de mais tormento. Meus pensamentos não me deixavam em paz, as contas gritavam alto em meu ouvido e em minha mente passava o olhar das pessoas para mim, que sem abrir a boca me diziam: – O pobre dele, trabalha tanto e não tem nada!

Essa era minha vida até aparecer uma grande pessoa em minha vida, meu filho.

Aqueles belos olhos azuis falavam para mim: – Você vai conseguir, você tem que conseguir, eu simplesmente acredito em você!

… 😥

E aí qual seria minha atitude, continuar na lama ou mudar os hábitos? Nem precisa responder né.

Me organizei do dia para noite. Demorou bastante para me adaptar depois de baixar um degrau, mas estou aqui para contar minha história muito feliz.

Acredito que se tivesse estudado algo relacionado a educação financeira na escola não teria sofrido tanto.

Mas aprendi. Ainda continuo em minha educação financeira. E minha vida é muito mais produtiva assim.

Não vou mentir que ainda tenho umas recaídas, todavia vou lá e me dou um NÃO.

Simples assim.

Avalie o preço de sua atividade

Qual o preço de sua atividade - motivação - metallisson

Vamos fazer uma sopa aqui agora para vendermos. Pegue esses ingredientes:

Quanto vale o seu trabalho? Quanto vale você ouvir um grito? Quanto vale ouvir uma reclamação de um cliente? Quanto vale ouvir que sua comida está insípida?

Agora coloquemos mais alguns…

Quanto vale você ficar sem se divertir? Quanto vale um final de semana perdido? Quanto vale não poder ir visitar a mãe ou namorado?

Cada resposta dessa e seus contextos são itens dessa comida, misturemos tudo e cozinhemos por 24h. No final vai sair uma ótima sopa, mas a qual preço de venda?

Temos uma excelente comida, mas será que alguém terá coragem para pagar por ela?

Se não temos um preço de venda por tudo que fazemos, como vamos nos motivarmos a continuar se não poderemos usufruir daquilo que realizamos, isso porque achamos que não há quem pague o nosso preço?

Aonde eu quero chegar com isso? Você tem que saber o preço de tudo o que você faz, caso contrário você se desmotivará.

Eu tenho que saber qual o preço de um grito ou reclamação que eu levo, com motivo ou sem motivo. Tenho que saber meu grau de resiliência.

Me conhecendo saberei dizer até onde eu posso chegar. Conhecendo o que realizo, sabendo todos os detalhes e dificuldades saberei dizer quanto tempo será gasto naquela atividade.

Tendo ciência dos dois, saberei o preço do meu trabalho

Certa vez recebi uma proposta para subir de cargo sendo remunerado pelo dobro do que eu ganhava na época.

Era tentadora a proposta, só que tinha uma condição: Teria que ir morar a mais de 637km de onde morava.

Eu estava precisando daquele dinheiro e eu era muito bom no que fazia, não é à toa que recebi essa oferta.

Não tenho nenhum problema em morar longe, o caso é que mesmo precisando indubitavelmente daquela ascensão profissional, não aceitei a oferta.

Não aceitei porque sabia do preço que iria pagar com aquela atividade, conhecia bem o terreno onde iria trabalhar e sabia o preço do meu trabalho.

Tinha todas as informações necessárias e assim pesei a oferta.

Teria também que levar minha família e naquele momento da minha vida seria uma mudança que eu não estava disposto a passar.

Resultado… não fui e a empresa que me chamou cerca de 4 meses depois quebrou.

Providencia divina, pulga atrás da orelha, concelho de pai e mãe?… Não sei. O que eu sabia era que o preço do que eu fazia, isso eu tinha em minha mente.

Na minha tomada de decisão, mantive minha motivação, tendo a certeza do quanto me custava, tudo aquilo que eu fazia.

Allisson da Silva

Isso estava extremamente claro para mim.

Você sabe o preço de sua atividade? Dinheiro será que é tudo mesmo?

Se venda e se demita

Demitir

Não há como manter-se motivado a fazer algo se você não tem quem compre suas ideias.

Se tem uma coisa que eu aprendi com o passar dos anos foi que eu devo me vender para as pessoas certas e devo me demitir também para as pessoas certas.

Confuso não?

Veja bem. Eu percebi que existia uma coisa em comum em tudo o que eu fazia que dava certo, e que existia algo em comum em tudo aquilo que dava errado em minhas atividades.

E tudo estava relacionado a estas duas coisas.

Quando era que eu me vendia? Me vendia sempre quando percebia que existia alguém que provavelmente se interessaria por minhas ideias.

Você trabalha ou vive com pessoas que no mínimo você conhece certos pontos delas. Sabe de defeitos, anseios, carências.

Essas informações são valiosas.

No meu post sobre técnicas de vendas falei sobre conhecer os desejos do cliente e aprender ouvi-lo.

Isso me ajudou a saber o que as pessoas queriam no meu trabalho e antes que elas me pedissem eu já chegava com uma solução para um determinado problema encontrado.

As ações de me adiantar na resolução de problemas em meu ambiente me geravam excelentes frutos. Mantinham meu nível de motivação nas alturas, isso pelo fato de minha equipe sempre ficar satisfeita com o meu trabalho.

Uma vez ouvi um: – Eu gosto de trabalhar com Allisson porque agente pedi uma coisa e sempre se surpreende com o retorno. É garantia de entrega.

Este feedback foi me dito de diferentes formas em meu ambiente de trabalho e isso me motivava bastante.

Agora observe que eu mesmo criava situações de automotivação. Resolvia um problema com excelência.

Era um ótimo vendedor do meu trabalho.

Agora também tive contato com pessoas que sabia que o único propósito delas era me sugar. Eu tenho certeza que você sabe quem são essas pessoas no seu convívio.

Essas pessoas aparecem na sombra de seu brilho em sua atividade.

Para essas pessoas eu me demitia. E como eu fazia isso?

Ora, eu ignorava elas e ainda criava situações de cobrar serviço delas.

Nunca perdi uma amizade por causa disso, todavia eu sabia como fazer. Encontramos esse tipo de gente quando uma de nossas atividades depende que essa pessoa realize a tempo a atividade dela.

Eu me demitia dessa turma não ligando a mínima se o colaborador estava feliz comigo ou não. Apenas ia lá e cobrava o resultado. Explicarei como.

Quando a atividade não era entregue, subia a minha dificuldade para liderança, e pelas regras do negócio todas as fases do processo deveriam ser realizadas no tempo determinado, independentemente de ser Allisson que cobrasse ou não.

Então se eu percebia que alguém não estava fazendo parte do meu crescimento, mas estava me prejudicando em minhas atividades, educadamente e baseado em regras, eu me demitia do convívio dela.

E sendo demitido não tinha mais relações com aquele colaborador. E ainda garantia um bom clima dentro do trabalho com essa pessoa.

Existem pessoas que não estão preocupadas com crescimento. Estão ali para cumprir o “feijão com arroz”.

Para me manter motivado crescendo, eu tinha que imprimir uma velocidade que não fazia parte do contexto de alguns.

Não aceitava andar com o freio de mão puxado. Então a única solução era larga-lo no meio do caminho.

Assim eu mantinha meu gráfico sempre apontando para cima e não permitia que um apagador de chamas me influenciasse.

Conclusão

Esse artigo foi escrito baseado essencialmente em minha experiência de vida. Abordei pontos que me fizeram mudar de vida e me geraram muita motivação no trabalho.

São poucos os hábitos que temos que modificar para não perder o foco. Eu dei muita ênfase no setor de trabalho, mas os pontos aqui tratados, definitivamente, podem ser aplicados em qualquer área.

Eu acredito que o maior segredo está em encontrar o seu maior ponto de motivação.

Eu ficarei muito feliz se você conseguiu encontra-lo, aí na sua realidade. Deixei muito claro quem ou o que é meu maior ponto/objetivo de motivação.

O segredo está em descobri-lo. Quando você sabe por qual motivo você luta uma batalha terá muito mais chances de vencê-la.

Afinal de contas seu foco estará na motivação e não no problema.

E se após ler meu texto você ainda não descobriu a minha fonte de motivação, aqui está:

Minha família!

Onde está a sua? Exercite esses 10 hábitos e me diga o que mudou em sua vida.

Se esse texto contribuiu com alguma coisa em seu dia, por favor avalie com uma nota logo abaixo. Não deixe de comentar e compartilhar com as pessoas que você gostaria que lessem isso.

Forte abraço!

Avalie esse artigo para entendermos se você gostou do nosso conteúdo. Clique em uma estrela de acordo com seu nível de satisfação.

Conteúdo ruimPrecisa melhorar o conteúdoConteúdo razoávelConteúdo bomÓtimo conteúdo
(1 votos, com nota média: 5,00 da máxima de 5)
Loading...

Allisson da Silva

Allisson da Silva é o fundador da Compra aê! Desde 2015 vem estudando e desenvolvendo projetos sempre com foco em internet. Atualmente trabalha com distribuição, venda direta, marketing digital e é o CEO da metallisson®.

0 comentário

Deixe um comentário