Olá leitor há alguns anos venho trabalhando com internet e telecomunicações e gosto muito do assunto relacionado a vendas online. Gostaria de compartilhar nesse blog o meu conhecimento sobre a área.

Então por vezes você vai encontrar aqui posts voltados para vendas, conteúdos sobre o wordpress e principalmente como juntar todas as peças para que você consiga monetizar seu negócio com sucesso.

Eu vendo todos os dias na internet, já há alguns anos e por muito tempo pensei que isso fosse algo distante de minha realidade.

Então senti vontade de compartilhar nesse ambiente um pouco da minha experiência para te encorajar e dizer que é muito simples vender algo pela internet.

Você deve ter inicialmente um bom produto ou serviço, mas deve ter também uma marca pessoal e corporativa.

No início vão te ignorar, mas aos poucos você sendo verdadeiro e tendo um perfil único, “cairá nas graças” de vários clientes, pessoa física ou jurídica.

Não importa. Você sempre estará vendendo para pessoas.

Seus clientes devem confiar em você como autoridade e se sentirem seguros sendo clientes de sua marca. De fato, se isso não acontecer eles não vão ser seus clientes.

Eu já perdi clientes por não confiarem na minha marca, como também ganhei clientes por confiarem.

Isso é normal e fará com que você, sendo constante e firme no que quer para seu negócio, transforme este, em uma empresa de sucesso.

Todavia o primeiro passo é ter uma presença online, onde você ou sua empresa tenham uma “cara”, eu recomendo um site.

Então aqui estou em minha missão de escrever algo sobre o tema que agregue valor para você, com experiência de alguns anos trabalhando no mundo digital.

No mais, gostaria de falar com você que se algo aqui te ajudou de alguma forma, compartilhe com quem você acredite que o conteúdo aqui disponibilizado possa também ajuda-lo.

Isso vai ser muito importante para mim e certamente quem receber também irá crescer conosco.

Antes de tudo, leia esta história…

Como tudo começou

Era meio do ano e a pressão para concluir o fim do ano para ser aprovado no vestibular atingia níveis exorbitantes.

Meu primo e eu estávamos intimados a seguir a carreira que nossos pais nos indicavam. Tudo corria bem a não ser que, naquele último ano do ensino médio eu ainda não tinha escolhido um curso.

Qual graduação eu faria?

Meu pai queria que eu fizesse engenharia elétrica e por gostar muito de criar coisas eu simpatizava por mecatrônica.

Qual escolheria?

Naquele momento uma névoa pairava sobre minha mente indecisa, mas eu sabia que não tinha mais tempo e então eu escolhi.

Eu estava certo que faria provas para três universidades: uma estadual e duas federais.

Assim eu fiz…

Eu gostava de computadores porque, embora não tivesse muito contato eu via que aquelas máquinas davam possibilidades infinitas, limitadas apenas a criatividade de qualquer um.

Rapidamente no fim do período das inscrições para as provas eu decidi:

Na universidade estadual eu fiz prova para Licenciatura em Computação, em uma federal eu fiz Bacharelado em Computação e para não desagradar meu pai eu fiz, na outra federal, Engenharia Elétrica.

Então algo aconteceu…

Eu estava fazendo a prova de engenharia elétrica e quando vi faltavam poucos minutos para terminar o tempo da prova.

Então logo comecei a passar todas as questões que tinha respondido para o gabarito, mas quando olhei novamente para o relógio como um passo de mágica faltavam apenas alguns minutos para o fim.

Nesse momento eu comecei a, em vez de marcar as questões que tinha respondido, estava agora marcando direto no gabarito de resposta qualquer coisa para não zerar a prova.

Mas eu não conseguia se quer dominar a minha mão lutando com aquela tremedeira por causa do meu nervosismo e desespero.

No fim, quando o relógio tocou, faltavam menos de 8 questões para não zerar a minha prova. Nem “chutar” as respostas deu tempo terminar de marca-las.

Para mim, naquele momento, tinha acabado de morrer o sonho da pessoa que mais acreditava em mim, meu pai.

Perdi a prova de engenharia por ter passado do tempo de término, mas consegui ser aprovado nas outras duas universidades de computação.

Eu entrei no curso de computação, mas não tinha noção do desafio que seria. Isso pelo simples motivo que tinha pouco ou quase nenhum contato com computadores.

Para não ficar para trás nos estudos com os meus colegas, eu comecei a estudar.

Logo consegui uma bolsa de estudos no departamento de educação à distância da universidade onde estudava e comecei a ter os meus primeiros contatos com criação de sites através de ferramentas web.

Mas por algum motivo naquela época, eu não conseguia entender porque eu não conseguia aprender a como criar um site.

Era como se eu tivesse colocado em mim mesmo, um bloqueio que não me deixava iniciar o meu aprendizado na construção de webpages (falarei muito sobre isso por aqui).

Então, em uma tarde, tudo mudou em minha vida.

Não me lembro como, mas soube que a diretora do núcleo de educação à distância sondava alguma empresa ou alguém que construísse um site com um sistema que gerenciasse matrículas e notas de alunos.

Eu não tinha dúvida que a oportunidade tinha acabado de parar em minha frente. Não era dessa vez que eu iria procrastinar mais, em não aprender.

A primeira ação que tive foi de ir à sala dela e dizer um:

– Diretora, eu faço o seu sistema!

Naquele momento, eu ainda não sabia, mas tinha acabado de mudar o rumo da minha história. Apenas uma decisão mudou tudo!

Eu não tinha conhecimento naquele momento nem de como um site se mantinha no ar, todavia a minha meta estava traçada e eu tinha 2 meses para honrar aquelas palavras.

O desastre que mudou o jogo

Como eu não conhecia essa área de sistemas na internet, sites e conteúdos afins, comecei a vasculhar a web em busca de todo o tipo de informação que pudesse encontrar.

Pulando de página em página meus olhos brilhavam com aquele mundo que eu estava conhecendo, mas meu tempo era curto e tinha que iniciar a construção daquele site.

Como eu não tinha alguém para me orientar em qual o caminho correto deveria seguir, comecei pelo modo mais difícil:

Fui aprender uma linguagem de programação para construção de sites. Então eu escolhi o PHP.

E parecia que tudo cada vês mais ficava complicado. O tempo não era meu amigo naqueles dias.

Então de código em código eu já estava me familiarizando com aqueles scripts e minhas primeiras páginas estavam saindo das minhas idéias.

Mas então qual foi o desastre que aconteceu anunciado no título?

Bem… eu me empolguei e queria fazer algo a mais do que tinha me comprometido, todavia para piorar eu não tinha um plano. UM PLANO.

Como eu já falei, fui pulando de galho em galho na internet e isso me fez perder tempo e foco. Nesse momento eu além de está construindo esse sistema/site, comecei a construir minha própria rede social. A metallisson.com.

Pois é, você leu bem mesmo. Eu estava à poucos dias sem nem saber por onde começar e já estava tentando construir uma rede social.

Já imaginou o que aconteceu?

Atrasei tudo e no fim das contas, depois de meses eu entreguei o site, mesmo muito atrasado, com um sistema que gerenciava alunos para minha diretora.

Ninguém usou esse site e tempos depois acabei sendo demitido. Mas a rede social brasileira…

Um site perfeito…

Como já mencionei anteriormente o meu segundo site depois do solicitado por minha ex-diretora do departamento de educação à distância foi minha rede social.

Na época eu estava querendo ir para o mundo online e estudava muito sobre como criar um site seguro para meus visitantes.

Eu queria que tudo fosse perfeito e não lancei a rede social até que o mínimo detalhe ficasse pronto.

Por causa dessa minha atitude naqueles dias, meu site demorou mais de 1 ano para ficar pronto. No mercado também cheguei a conhecer ferramentas para criação de sites voltadas para esse tema.

Procurava no Google e Bing coisas como:

Qual o melhor criador de site?
Como criar e hospedar um site?
Qual o curso para criar um site?
Como criar um site com domínio próprio?
Como criar site grátis pelo celular

E assim o tempo passou e muita das minhas perguntas foram respondidas.

Baseado na vivência desses e de outros acontecimentos que acabei de lhe contar, eu vou compartilhar por aqui conteúdos que sejam relacionados com todas essas experiências.

O que eu percebi

Um site bem construído pode lhe dar uma visibilidade que você nunca poderia ter no meio físico, como na sua rua, trabalho, praça ou outro local.

Imagine que o site que você quer criar, seja para seu negócio, seja para você mesmo ou para alguém, será a porta de entrada para seu visitante.

Agora imagine que você pode ter mil pessoas passando todos os dias em seu site e seu produto ou serviço está sendo visualizado por todas essas pessoas.

Não só isso, eles estão literalmente entrando dentro de seu negócio, quando clicam em links percorrendo seu site de página e página, sendo assim encantados por todos aqueles benefícios que você propõe oferecer.

Essa é a magia de um site. Seu negócio 24h por dia online. Pronto para receber seu cliente.

Depois que gastei todas as minhas economias com minha rede social eu retirei a plataforma do ar. Fiquei por um tempo com o domínio inativo até que um dia resolvi voltar com o site como um blog.

Eu trabalhava na época em uma empresa de telecomunicações e era do setor comercial. Como eu já estava com experiência no assunto resolvi lançar um blog sobre vendas diretas e distribuição.

O site foi um sucesso, mas não conseguia monetiza-lo.

Comecei a me inscrever em plataformas de vendas diretas para poder escrever sobre o tema com “mais qualidade”, mas definitivamente aquilo não me brilhava os olhos.

Não era a área de vendas, mas comecei a escrever sobre empresas que não eram o meu perfil.

Meu perfil em vendas era uma experiência frenética com distribuição de produtos digitais e físicos de telecomunicações. Tentei adaptar a minha experiência para  escrever para pessoas da área de venda direta que poderiam crescer com todo o que poderia passar para elas.

Mas eu não era um vendedor de porta em porta, conhecia muito sobre devido a distribuição em telecom, todavia não poderia continuar escrevendo pelo que não vivia na pele. Então peguei todo o meu conteúdo e escrevi um livro de vendas: O vendedor de Sim.

Todavia antes disso eu comecei a estudar como monetizar meu site com o conteúdo que conhecia. Lancei então uma plataforma de revenda de produtos digitais em 2017 e com ela aprendi coisas na prática que não encontrava cursos por aí descrevendo tais experiências.

Essa plataforma hoje é um negócio de sucesso em minha empresa. É sobre o aprendizado que venho absorvendo com ela e outros sites que construí, que irei tratar por aqui nos meus posts.

Tudo pode ser replicado e aprimorado. Então o intuito do blog é exatamente esse:

Compartilhar conteúdo replicável. Você será muito bem-vindo por aqui.

Tudo em um site contribui para que uma venda seja realizada. O layout, posicionamento de botões, cores, as mudanças, novidades, o conteúdo, autoridade, produto, etc.

Esse conjunto de itens tem que trabalhar em conjunto para levar a venda do que se propõe oferecer.

Você verá que eu defendo que um site tem seu valor distribuído em cada parte das páginas que formam ele.

Essa foi uma das minhas percepções e resolvi trazê-lo pra você aqui nesse canal. Eu gosto muito de escrever.

Por exemplo, nessa plataforma de produtos digitais apenas um post em conjunto com uma única página pode gerar para meu negócio de R$50 a R$100 mil de faturamento em um mês.

Também existem outras partes do site que geram pouca ou nenhuma monetização.

Esse é um aprendizado que só temos com a experiência em fazer. E se você for esperto começará hoje mesmo a construir um site e um blog de sucesso.

De certeza escrever sobre isso realmente me brilha os olhos e faz parte dos primórdios desse negócio.

Para falar a verdade, a plataforma de produtos digitais metallisson, assim como já falei, depois de sua desativação como rede social foi reativada como o blog com conteúdos de vendas.

Depois lancei a API de recarga no blog e hoje é meu negócio de sucesso.

Não vamos parar de falar sobre vendas, não é?

Espero te ver por aqui novamente.

Grande abraço!

Marcado em:
, ,

Sobre o autor

Allisson da Silva

Allisson da Silva é o fundador da Compra aê! Desde 2015 vem estudando e desenvolvendo projetos sempre com foco em internet. Atualmente trabalha com distribuição, venda direta, marketing digital e é o CEO da metallisson®.

Ver todos os artigos